A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) está realizando sua 57ª Assembleia Geral, que iniciou no dia 1º de maio, com a celebração da Eucaristia, e se estenderá até o dia 10. Nesta Assembleia, está sendo discutido diversos documentos e um deles é o “Orientações para a Mídia de Inspiração Católica”.

Esse documento foi tema de uma coletiva de imprensa, na quinta-feira, 02 de maio, no Centro de Convenções Padre Vitor, em Aparecida (SP). Em uma entrevista para a TV Canção Nova, Dom Darci José Nicioli, o arcebispo de Diamantina (MG) e presidente da Comissão Episcopal Pastoral para a Comunicação, manifestou sobre o material: “Que não seja excludente e sim libertador!”. O documento, segundo ele, tem o objetivo de alertar os profissionais das pequenas e grandes mídias quanto aos conteúdos divulgados: “Às vezes tropeçamos, nos comprometemos no nosso agir com as nossas mentiras, com as famosas ‘Fake News’”, alertou Dom Darcy.

Para o bispo, as orientações produzidas pela CNBB são interessantes e muito claras, possibilitando discussões e reflexões, como por exemplo, o rótulo “católico” atribuído a muitos canais. Ele afirma: “Um canal que se diz católico, é católico por quê? Para ter autoridade? Sugiro algumas perguntas para os canais que se dizem católicos refletirem: Anuncio o evangelho? Sigo a Doutrina Social? Respeito a liturgia? Tenho comunhão com o episcopado e com o Santo Padre? São elementos que nós precisávamos refletir (…) porque senão colocamos uma moldura de veículo católico quando não é”.

Essas orientações não são para chamar atenção ou limitar as postagens, destacou Dom Darci, mas sim para que todos os canais reflitam e tenham um destino. “Se, porventura, ao fazer a autocrítica o profissional ou aquela mídia entender que precisa converter-se, conversão é uma prática de todos os dias então a intenção é essa”, comentou o bispo, ainda completou: “Solidariedade, partilha e misericórdia são valores que precisam estar no coração de todos os profissionais para exercerem bem a sua função, não em favor de um grupo de interesses, mas para que todos se beneficiem”.

Existem muitos veículos de comunicação autenticamente católicos, sobre tais o bispo declara: “A riqueza está na diversidade. São espiritualidades próprias que a gente não pode de maneira nenhuma não dar atenção ou não partilhar. Há pouco tempo não tínhamos uma variedade tão grande na web, é importante nós anunciarmos o evangelho em todos os locais, usando uma linguagem própria para os meios de comunicação, a fim de atingirmos mais corações, é a nossa missão anunciar”.

Já aos cristãos que possuem redes sociais, Dom Darci dá dicas para um bom uso delas: “Busca da verdade sempre. Use-as a serviço da verdade e segundo os valores do evangelho, essa é a nossa missão”. Na análise da conjuntura nacional realizada nesta quarta-feira,01, o bispo frisou a fala de uma economista que pediu aos bispos que a questão técnica da economia fosse deixada de lado. “Nós precisamos é de valores e esses valores precisam estar muito claros”, pediu a economista, de acordo com Dom Darci. O bispo seguiu falando aos fiéis: “Nós [cristãos] somos especialistas nisso [valores] porque nós continuamos a obra de salvação de nosso Senhor Jesus Cristo, a partir dos valores de seu evangelho”.

Que as redes sociais, portanto, sejam mais um instrumento para a evangelização. ESSA TAMBÉM É A MISSÃO DA COMUNICAÇÃO NACIONAL DO SEGUE-ME. Que Deus abençoe os nossos trabalhos.