O profeta Isaías, séculos antes da vinda de Jesus Cristo, em um de seus iluminados momentos, trouxe ao mundo dos homens a esperança de luz que todos ansiavam: “A Virgem conceberá e dará à luz um Filho. Ele será chamado: Deus conosco” (Is 7, 14). E, assim, a profecia anunciada por Isaías iniciou seu cumprimento imediato.

Naquele esperado dia, o anjo Gabriel foi enviado por Deus a uma cidade da Galileia, chamada Nazaré, a uma virgem e disse-lhe: “‘Ave, cheia de graça, o Senhor é contigo.’ Não temas, Maria, conceberás e darás à luz um filho, e lhe porás o nome de Jesus. Maria perguntou ao anjo: ‘Como se fará isso, pois não conheço homem?’ Respondeu-lhe o anjo: ‘O Espírito Santo descerá sobre ti’. Então disse Maria: ‘Eis aqui a serva do Senhor. Faça-se em mim segundo a tua palavra’” (cf. Lc 1,26-38).

A Virgem Maria foi mais que permissionária. Ela foi além. Ela entregou sua vida, sua alma e todo o seu coração à vontade de Deus. Ela não questionou, não duvidou. De forma simples, com a humildade daquela que recaiu toda a dignidade, singelamente serviu.

Maria é vista constantemente à luz da Palavra de Deus, como uma espécie de “carta de Cristo, escrita não com tinta, mas com o Espírito de Deus vivo, não sobre mesas de pedra, mas sobre mesas de carne”. Sendo assim, ela é vista também como um meio privilegiado, do qual o Espírito Santo se serve para conduzir as almas à semelhança com Cristo (CANTALAMESSA, Raniero. São Paulo, 1992. 13ª Ed.).

Maria, em seu exemplo de obediência, nos ensina que a fé não cumpre mandamentos racionais da comum humanidade, mas é na entrega irrestrita que se faz plena. Por causa de sua fé, a Virgem Santíssima, mesmo sem saber como aconteceria os fatos a partir daquele instante, aceita fazer a vontade de Deus – incondicionalmente. Como serva de vida e de propósito, se colou numa atitude de total disponibilidade ao Seu Senhor.

E, assim como Maria Mãe de Deus, sejamos exemplo de fé e disponibilidade, nos colocando diante de Deus e dizendo diariamente: Pai, faz em mim a tua vontade.

O dia 25 de março é marcado pela comemoração da solenidade da Anunciação do Senhor. A data, celebrada por toda Igreja Católica nove meses antes do Natal, faz recordar o dia em que Maria, mãe de Jesus, deu seu “sim” não apenas ao anjo, mas a toda humanidade.

“E o Verbo se fez carne e habitou entre nós” (João 1, 14).

 

Felipe Caribé de Andrade

Paróquia Santa Catarina de Labouré

Arquidiocese de Maceió/AL